top of page
  • Foto do escritorCarolina Ligocki

Seu filho entende o valor do trabalho?


O trabalho é muitas vezes visto como sacrifício e meio de sobrevivência, e é fundamental ampliar o olhar e perceber que pode ser uma forma de realização pessoal, de ajuda a outras pessoas, de solução de desafios sociais e ambientais, um meio para desenvolver relacionamentos positivos, para aprender novas habilidades e aprimorá-las… E em sua família, como o trabalho é visto?


Você incentiva seus filhos a trabalharem? Eles precisam contribuir nos trabalhos domésticos? Meus pais sempre foram incentivadores das iniciativas empreendedoras minhas e do meu irmão, e isso foi muito positivo e nos fez vencer obstáculos.


Sempre gostei de trabalhar, comecei o primeiro negócio formal aos 17 anos e, no início, o meu foco estava em gerar dinheiro, trabalhar incansavelmente, pois acreditava que isso me traria a desejada liberdade financeira. Nesse negócio, conheci meu marido e sócio, o Léo. Depois de 7 anos, veio uma grande crise e percebemos que não era somente uma questão de faturamento, era necessário cuidar e gerir o fluxo financeiro. Decidimos ir em busca de respostas sobre como construir sustentabilidade financeira. Foi uma jornada de cursos, livros, testes, erros e acertos, que acabou, na prática, nos fazendo alcançar a liberdade financeira, resultando em mais tempo e mais poder de escolha em como seguir a vida. Naturalmente, passamos a compartilhar com outras pessoas o que estávamos descobrindo sobre o mundo do dinheiro, e acabamos fundando a nossa empresa, Oficina das Finanças.


Resolvi escrever esse artigo pois vem aí o Dia do Trabalho e acredito que precisamos ampliar o nosso olhar e perceber que o "valor" do trabalho vai muito além da remuneração. Ele é o meio pelo qual conseguimos colaborar, desenvolver relacionamentos, talentos, superar limitações, aprender e crescer como seres humanos, inovar e resolver os problemas sociais e ambientais. Todo trabalho gera algum impacto, tanto em você como nos outros. O dinheiro é apenas uma parte da recompensa do trabalho e a forma como usamos esse dinheiro é que pode nos libertar e não, simplesmente, a quantidade de remuneração.


É possível melhorar as condições de trabalho, a qualidade do resultado final e aumentar a remuneração investindo em nosso aprimoramento pessoal, desenvolvendo valores humanos e investindo dinheiro, seja por meio de educação, ferramentas, tecnologias, inovações… Somos seres de múltiplas habilidades e inteligências, com potencial enorme de aprendizagem e aprimoramento. Imagine um pedreiro que atua de modo rudimentar e precisa fazer tijolos, empilhá-los… com investimento em materiais, treinamentos, tecnologias… esse mesmo trabalhador, pode ser melhor remunerado, construir mais rápido e atuar de forma mais eficaz e estratégica, sem depender de tanta força e esforço físico.


O dinheiro é um dos resultados do trabalho e por isso deve ser usado com estratégia, responsabilidade e sustentabilidade, afinal, não foi fácil consegui-lo. Aprendemos a direcioná-lo para os itens realmente importantes para nós e a fazê-lo trabalhar para aumentar nossa renda. Não, necessariamente, para ficar à toa somente descansando e consumindo, mas para ampliar as opções de escolha, nos permitindo trabalhar em atividades sem ter a pressão financeira. Essa é uma liberdade maravilhosa!



Deixo aqui duas sugestões finais: incentive seus filhos a trabalharem de graça, os trabalhos desenvolvem várias habilidades como organização, persistência, foco, disciplina… e evite remunerar as atividades domésticas que deveriam ser feitas de forma colaborativa para o bem da família. Você estará contribuindo para que seus filhos sejam independentes, responsáveis e valorizem o trabalho de todos. Até a próxima!



Carolina Ligocki

Fundadora e autora da Oficina das Finanças



Comentarios


bottom of page